Movimento Internacional da Cruz Vermelha repudia o assassinato de voluntários na República Centro-Africana

Bangui / Genebra, 9 de agosto de 2017 – O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho está chocado e triste com a morte violenta de seis voluntários, no início da semana, na República Centro-Africana (RCA).

O grupo participava de uma reunião em um centro de saúde na cidade de Gambo, no sudeste da República Centro-Africana, em 3 de agosto. As circunstâncias exatas ainda não estão claras. No entanto, os relatórios indicam que outros civis e médicos também podem ter sido mortos.

O Movimento da Cruz Vermelha condena fortemente este que foi o terceiro atentado na RCA contra membros da Cruz Vermelha esse ano.

“Estamos chocados com a notícia da morte de nossos colegas”, disse Antoine Mbao-Bogo, presidente da Cruz Vermelha da República Centro-Africana. “Solicitamos a todas as partes que tomem medidas para poupar a população civil e respeitem nossos voluntários que prestam ajuda humanitária”.

O Movimento da Cruz Vermelha está profundamente preocupado com o recrudescimento da violência na República Centro-Africana nos últimos meses. A violência que também tem como alvos os voluntários está impedindo que a Cruz Vermelha ajude as comunidades que foram severamente afetadas pelo conflito armado.

O Movimento, mais uma vez, pede aos atores armados que respeitem e protejam médicos, ambulâncias e instalações médicas. O pessoal armado não deve entrar em instalações de saúde, e todos os grupos precisam facilitar a evacuação dos doentes e feridos para os hospitais.

O Movimento da Cruz Vermelha estende suas mais sinceras condolências às famílias dos mortos no ataque de 3 de agosto e aos seus colegas e amigos em toda a República Centro – Africana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *